PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DESTAQUES DO PORTAL

.

.

CIDADE

.

.

PARAIBA

POLICIAL

.

.

POLITICA

.

.

BRASIL

Zé Lezim diz que Tião Gomes ameaçou comer ‘aquilo que ele tem muito zelo’ durante confusão em restaurante

O humorista Nailon Barreto disse em áudio que a confusão com o deputado estadual Tião Gomes se deu depois de uma piada mal interpretada. Segundo o Zé Lezim, ele brincou com várias pessoas presentes na mesa do parlamentar no restaurante em questão. Mas ao dizer que não ia se sentar por ter muito “bandido”, Tião levou a piada a sério.
A partir daí os dois se estranharam e a briga se intensificou. Tião Gomes prestou queixa contra o humorista. Mas Nailon se diz tranquilo: “Nem do satanás eu tenho medo”. E ainda minimiza a questão, dizendo que ele é réu primário e isso lhe confere certos direitos.
O que o humorista acrescentou, é que em determinado momento, Tião Gomes o ameaçou e disse que iria “comer aquilo que tem maior zelo”.
Portal Arara
Fonte: Polêmica Paraíba

Perícia da PF conclui que não houve edição nas gravações de Joesley Batista

Perícia da Polícia Federal concluiu que não houve edição nas gravações feitas pelo dono da JBS Joesley Batista. Segundo os peritos, há cerca de 200 interrupções no áudio em que Joesley aparece falando com o presidente Michel Temer, mas que elas estão relacionadas ao equipamento usado pelo empresário. O resultado do laudo já foi informado informalmente ao relator do inquérito no supremo Tribunal Federal (STF), ministro Edson Fachin.

A Procuradoria Geral da República pediu que o laudo concluído pelos peritos já fosse enviado ao MPF. O ministro Edson Fachin autorizou a remessa ainda nesta sexta-feira à PGR.
Na conversa, Batista fala sobre a compra de um procurador da República, a manipulação de dois juízes federais e o pagamento de propina ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e ao operador financeiro Lúcio Bolonha Funaro. O suborno sistemático seria uma forma de impedir que os dois fizessem acordo de delação.
Batista diz ainda que, com o ex-ministro Geddel Vieira Lima fora de circulação, precisaria de um novo interlocutor. Temer indica o ex-assessor Rocha Loures. Batista pergunta, então, se poderia tratar de “tudo” com Loures. “Tudo” responde Temer.
Munido da gravação e outros documentos, Batista fez um acordo de delação premiada para delatar Temer e Loures, entre outros políticos. Depois da conversa de Temer com Batista, Loures entrou em cena, tratou de decisões e cargos estratégicos com o empresário e, não demorou muito, acabou sendo filmado correndo pelas ruas de São Paulo com uma mala com R$ 500 mil recebida de Ricardo Saud, operador da propina da JBS.
A propina seria a primeira parcela de um suborno que, ao longo de 25 anos, ultrapassaria a casa dos R$ 600 milhões. Em depoimento ao Ministério Público Federal, Saud disse que o dinheiro seria para Temer. Interrogado pela Polícia Federal, Batista reafirmou que o dinheiro seria para o grupo de Temer. A perícia é importante, mas não chega a ser considerada essencial pela Procuradoria-Geral da República. Para os investigadores, outras provas já seriam suficientes para oferecer denúncia contra Temer e Loures.
Portal Arara
Fonte : polemicaparaiba

Top