PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Deputado defende intervenção da segurança nacional na Paraíba

O deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB), se mostrou favorável nesta segunda-feira (19), à intervenção militar federal na segurança pública do Rio de Janeiro. De acordo com o parlamentar, essa é finalmente uma reação do governo à insegurança e ele defendeu que uma medida semelhante seja tomada também no estado da Paraíba. O decreto de intervenção no Rio de Janeiro foi assinado pelo presidente da República, Michel Temer (MDB) na última sexta-feira (16).
“Finalmente uma reação. As pessoas já aguardam isso a um bom tempo. A reação tem que ser dura. O poder público pelo menos mostra uma reação. É o que a gente espera aqui na Paraíba do governador Ricardo Coutinho. As pessoas querem reação e eu sou favorável a essa medida e que venham mais como essa”, disse o deputado em entrevista à rádio Correio Sat/98 FM.
Ele fez ataques às políticas de segurança pública impostas pelo governo do Estado. “A Paraíba precisa de algo semelhante. Primeiro contratar policiais; ele falou na campanha que ia fazer, e não fez. Os bandidos tomaram conta do nosso estado. Qual o cidadão paraibano que sai a rua tranquilo? O último concurso da Policia Civil foi em 2008; isso está errado. A Paraíba esta entregue; é um governo que foi e é incompetente para lidar com a criminalidade”, afirmou.
De acordo com Pedro Cunha Lima, o próximo governante da Paraíba e a oposição devem ter como principal preocupação a segurança pública da Paraíba.
“A minha preocupação é qual é o plano para a segurança pública. Eu não quero saber quem é o cabeça de chapa das oposições, não importa quem é. Independente de quem seja o nome, nós queremos saber como fica a questão da saúde que também não é boa. É isso que a oposição tem que focar porque a situação não está boa”, destacou.
Segundo o deputado, falta uma conversa franca entre o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB) e o de João Pessoa Luciano Cartaxo (PSD) para decidir como será formada a chapa das oposições, no entanto destacou que essa decisão deve ser tomada antes do dia 15 de março.
“Nós somos ouvidos sim. Quem está na oposição tem sua voz. Falta um encontro entre Romero e Luciano; o calendário está apertando, mas eu acredito que vai ser apresentada antes do dia 15 de março”, disse.
Ele fez elogios às duas gestões que são feitas em João Pessoa e Campina Grande.
“A gente puxa para o quadro partidário. Eu sou um vibrador da gestão de Romero que é do meu partido, mas nós temos defendido a unidade que é composta também por outros bons nomes. O prefeito Luciano por exemplo, entregou hoje mais unidades habitacionais, como a gente vai deixar de aplaudir isso? “, finalizou.
Outros parlamentares
O deputado federal Benjamin Maranhão (SD) irá votar favoravelmente ao Decreto de Intervenção Federal (9.288/18) no estado do Rio de Janeiro, assinado pelo presidente Michel Temer, e que irá a votação na Câmara na noite desta segunda-feira (19). O deputado defendeu ainda que o decreto seja estendido para outros estados, a exemplo da Paraíba.
O Senador Raimundo Lira (MDB-PB) disse na sexta-feira (17) que sempre defendeu participação do governo federal para conter a violência no Brasil. “É um assunto de extrema importância para o país. A população do Rio de Janeiro está insegura e amedrontada”, enfatizou o Senador. “Os estados, sem apoio, não possuem condições de levar tranquilidade à população”, disse Lira.
Porém, Raimundo Lira destacou ser necessário que essa presença federal no Rio de Janeiro produza resultados eficientes e eficazes. “É necessário que essa intervenção apresente resultados eficientes e eficazes para atender as expectativas da população. Vamos acreditar, que vai dar tudo certo”, destacou Lira.
Lira integra o Conselho da República, convocado pelo presidente da República, Michel Temer, para uma reunião nesta segunda-feira (19), às 10h, no Palácio da Alvorada, em Brasília. O objetivo da reunião foi discutir a intervenção federal no Rio de Janeiro, decretada pelo Presidente na semana passada.
Votação
A votação do Decreto de Intervenção de número 9.288/18 acontece no Plenário da Câmara dos Deputados às 19h nesta segunda (19). Será o único item da pauta do Plenário. Esse será o primeiro do tipo a ser analisado pela Casa na vigência da atual Constituição, que é de 1988.
Pelo texto constitucional, o presidente da República tem 24 horas para submeter o decreto de intervenção ao Congresso Nacional, que realiza o controle político do ato. Uma vez que ele tenha chegado à Câmara no prazo, cabe à Casa definir o calendário de votação.
Outros estados
Até esta segunda-feira, o Rio de Janeiro era o único estado a contar com intervenção militar na segurança pública.
No Ceará, uma força-tarefa formada por 26 policiais federais e 10 agentes da Força Nacional de Segurança Pública embarcou, na noite desse domingo (18), para o Ceará. O grupo irá reforçar operações conjuntas de inteligência, pelo tempo que for necessário, em apoio à Polícia Militar, à Polícia Civil e ao sistema penitenciário do estado.
No Rio, o governo do Estado não responde mais pela segurança pública, o que não ocorre em nenhum outro estado, como no Ceará, onde há apenas o reforço da Força Nacional.
Portal Arara
Fonte: Portal Correio
Tecnologia do Blogger.