PUBLICIDADE

Mais de 98% indicam a PB para turismo, diz Fecomércio

Mais de 98,80% dos visitantes estão dispostos a indicar a Região Metropolitana de João Pessoa (RMJP) como roteiro turístico. Além disso, 96,56% dos turistas pretendem retornar à Paraíba. Os dados são da Pesquisa Anual do Desempenho do Turismo na Região Metropolitana de João Pessoa, realizada há 13 anos pelo Instituto Fecomércio de Pesquisas Econômicas e Sociais da Paraíba, e traz uma análise completa do turismo no local. O levantamento foi feito junto aos turistas que visitaram o estado durante os meses de dezembro de 2017 e janeiro de 2018.
A maior parte dos visitantes (73,50%) teve suas expectativas totalmente correspondidas em relação à imagem que tinham da Paraíba. É importante destacar que 70,51% dos entrevistados já conheciam a Capital, logo já sabiam o que a cidade ofertava. Outros 23,80% afirmaram ter suas expectativas superadas. Por outro lado, as expectativas ficaram abaixo do esperado para 2,10%.
Por mais um ano, as praias da região metropolitana foram o principal motivo da escolha de João Pessoa para aproveitar o verão, apontado por 68,56% dos entrevistados. Eles disseram o porquê da escolha: “praias de beleza singulares, praias urbanas com águas claras, mornas e tranquilas e praias em sua forma ainda bastante natural”.
Dentre as praias mais visitadas estão Cabo Branco (71,74%) e Tambaú (70,02%), por serem praias urbanas, mais centrais, onde há a maior concentração de hospedagem. Em seguida vêm Bessa (43,17%), Coqueirinho (38,93%), Manaíra (31,24%), Cabedelo (27,94%) e Tambaba (27,79%). Além das praias, os turistas escolheram a capital paraibana pelos atrativos naturais (29,27%), indicação de amigos e/ou parentes (23,58%), preço da viagem mais adequado (14,91%), propaganda na internet (13,82%), tranquilidade da cidade (8,67%), pela proximidade com a cidade que reside (8,40%), indicação de agências de viagens (8,13%), para conhecer a Paraíba (7,59%) e por ter familiares ou amigos residindo no estado (7,32%).
Entre os pontos turísticos que mais atraíram os turistas estão: o Mercado de Artesanato, visitado por 55,27% dos entrevistados, Pôr do Sol na praia do Jacaré (47,26%), Hotel Tambaú (30,17%), Centro Histórico (29,54%), Parque Solon de Lucena (28,90%) e Farol do Cabo Branco (27,85%). Além dos locais visitados na região metropolitana, 11,08% dos turistas aproveitaram a viagem para conhecer outras cidades, como Campina Grande (41,89%), Sousa (8,11%) e Bananeiras (6,76%). Em Campina, os pontos turísticos mais visitados foram: o Museu da Arte Popular (1,69%), o Açude Velho (1,48%), o Parque do Povo (0,63%) e o Museu da história e tecnologia do algodão (0,42%); e em Sousa aparece o Parque dos Dinossauros com 0,42% das visitas. É importante frisar que nestes quesitos a soma dos resultados ultrapassa os 100%.
A maioria dos turistas, totalizando 60,33%, estava realizando turismo de  lazer, o que representa altas consecutivas nos últimos cinco anos. Uma parcela significativa veio motivada pelo turismo familiar (27,40%), o turismo de negócios trouxe 4,04% dos visitantes e o Fest Verão Paraíba 3,14%. A maior parte dos turistas (49,25%) veio à RMJP acompanhado pela família, enquanto 30,54% vieram sozinhos, 16,32% em grupos e 3,59% acompanharam alguma excursão. A pesquisa mostrou ainda que 70,51% dos respondentes já haviam estado na RMJP pelo menos uma vez, o que mostra que os turistas estão satisfeitos. Já 29,49% visitaram a Paraíba pela primeira vez, percentual com decréscimo de 2,34p.p na comparação com igual período do ano passado.
Neste ano, o Sudeste foi a principal fonte de turistas que visitaram João Pessoa, responsável por 39,07% dos visitantes, esse resultado é superior em 4,68p.p. ao registrado em 2017. Destes, 59,39% são do estado de São Paulo, seguidos pelos turistas do Estado do Rio de Janeiro (24,52%), Minas Gerais (14,94%) e Espírito Santo (1,15%). Os visitantes do Nordeste aparecem em segundo lugar (37,72%), sendo a maior parcela (55,16%) procedente de outras cidades paraibanas, seguidos pelos de Pernambuco (22,22%), Rio Grande do Norte (7,54%) e Alagoas (6,75%). Em relação às regiões, o Centro-Oeste enviou o percentual de 11,53%, o Sul (5,69%) e Norte (4,64%). Os turistas estrangeiros representam 1,35%, oriundos de países como Estados Unidos, Alemanha, França, Argentina, Portugal, Inglaterra e Turquia.
Do total de visitantes, 52,10% chegaram à capital de avião, 28,14% de ônibus, 13,02% de automóvel particular e 3,59% de automóveis locados. Em relação aos meios de hospedagem, a maioria (50,15%) optou pela casa de parentes/ amigos. E uma parcela de 39,22% utilizou os meios de hospedagem convencionais, entre estes 28,44% se hospedaram em hotéis, 5,99% em pousadas, 3,14% em flats/hotel residência e 1,65% em hostel. Cabe destacar que o número de pessoas que utilizaram a rede hoteleira, este ano, foi superior em 4,83p.p ao registrado em igual período de 2017.
O tempo médio de permanência do turista na região metropolitana é de nove dias. O gasto médio constitui outro dado importante, e a pesquisa destacou que, por dia, o turista gasta, em média, R$105,46, o que representa uma leve expansão de 0,54% na comparação com os dados do ano passado. O maior gasto do visitante na RMJP foi com alimentação (47,02%), seguido por diversão (20,44%), hospedagem (16,27%), compras (11,11%) e outros gastos (3,97%).
Perfil do turista
Segundo os dados da Fecomércio, 51,95% dos turistas que visitaram a Paraíba neste verão são mulheres. Do total, a maior parte (47,60%) afirmou está casado ou em regime de união estável, 41,77% são solteiros, 5,69% divorciados e 3,74% são viúvos. Em relação à faixa etária, a maioria tem entre 26 e 35 anos (22,75%),  seguidos pelos que têm idade entre 46 e 59 anos (21,86%). Em relação à renda, os que ganham até dois salários mínimos representam a maioria, com 22,46% dos entrevistados, seguidos pelos que ganham entre dois e quatro, com 18,26%; entre quatro e sete, com 17,81% e os que ganham acima de 10 salários, que são 14,97% do total. Neste aspecto, é importante ressaltar que 10,78% afirmaram não possuir rendimentos, representados pelos turistas que não tem ocupação remunerada ou estão fora do mercado de trabalho, são dependentes financeiros do cônjuge ou estudantes. Em relação à escolaridade, a maioria dos entrevistados possui ensino superior completo, representando 41,62% do total, seguido por ensino médio (27,99%) e com doutorado (1,95%). Já em relação à ocupação, 32,19% são de empresas privadas, 20,06% são funcionários públicos e 14,37% são autônomos ou profissionais liberais. Os aposentados e pensionistas representam 11,38%, os estudantes (10,78%) e os empresários (6,29%).
Metodologia
A Pesquisa Anual do Desempenho do Turismo foi realizada no período de 27 de dezembro a 15 de janeiro, sendo levantada uma amostra de 668 turistas, consultados de forma aleatória, em diversos pontos, a exemplo do aeroporto, terminal rodoviário e diversos pontos turísticos na RMJP, com destaque para João Pessoa.
Respaldado no conceito de turista estabelecido pela Organização Mundial de Turismo – OMT, nessa pesquisa foram consideradas turistas as pessoas não residentes na Região Metropolitana de João Pessoa e que permaneceram na área pesquisada por pelo menos 24 horas, ou seja, passaram pelo menos um pernoite e tendo como a finalidade realizar passeios, negócios, participar de eventos, tratamento de saúde ou visitar parentes e amigos.
Com esta pesquisa, a Fecomércio contribui com informações que servem de subsídios para que gestores, empresários e pessoas ligadas diretamente na atividade turística da Região Metropolitana de João Pessoa possam definir políticas que fortaleçam o mercado turístico do Estado. Além disso, busca contribuir na tomada de decisões dos agentes públicos e privados no tocante à organização, planejamento e viabilização das atividades do trade turístico, de forma a criar vetores concretos que alcancem positivamente os diversos setores sociais e econômicos da Paraíba.
Portal Arara
Fonte: Portal Correio
Tecnologia do Blogger.