PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Maranhão esbanja confiança e avisa que quebrará polarização na corrida pelo Governo da PB: "Do mesmo jeito que quebramos para o Senado"

O senador José Maranhão, do MDB, mostrou, mais uma vez, que não está para brincadeira quando o assunto é a disputa pelo Governo da Paraíba, nas eleições desse ano e, durante entrevista, nesse final de semana, mandou um recado para os adversários, tanto governistas quanto oposicionistas: “Vamos quebrar a polarização”, disse.

Segundo o senador, que já ratificou que vai encabeçar a candidatura própria do MDB, a intenção do partido é mudar o cenário da mesma forma que ocorreu em 2014, quando o governador Ricardo Coutinho (PSB) apoiou o então petista Lucélio Cartaxo para o Senado Federal e o PSDB depositou as fichas na candidatura de Wilson Santiago (PTB), porém, nenhum levou a vitória para casa.
“Vamos quebrar essa polarização para o governador do mesmo jeito que quebramos para senador em 2014. Se fosse assim só polarizada, quem seria senador era Lucélio, que tinha o apoio do governador e do prefeito de João Pessoa, ou Wilson Santiago, que era o candidato do PSDB. Mas o povo elegeu o senador do MDB, ou seja, quebrou a polarização e vamos quebrar mais uma vez”, disse.
Para Maranhão, devido aos inúmeros escândalos envolvendo políticos, uns por incompetência, outros por desonestidade, não caberá espaço para polarizações de candidaturas.
“Não existirá polarização nessa eleição.  O povo paraibano terá um posicionamento mais cuidadoso. Ninguém se iluda, vai ser diferente. Antigamente era assim, quando dois ou três partidos faziam um acordo e botavam camisa de força no povo e os dois tinham que engolir. Não estou querendo fazer proselitismo nem afirmar que vou ser eleito. Não sei quem será o premiado, mas, certamente não será aqueles que querem que o regime da camisa de força funcione. O povo se decepcionou com mal gestores por incompetência ou por desonestidade”, arrematou.
Maranhão quer que o MDB seja protagonista nesta eleição. Ele não fala sobre estar fora de um eventual segundo turno ou ser o fiel da balança da eleição, mais uma vez.  Todavia manda o recado sobre não revogar a candidatura da legenda: “Time que não joga não tem torcida. O MDB não pode deixar de ter candidato a governador”, arrematou.

Portal Arara
Fonte: PB Agora
Tecnologia do Blogger.