PUBLICIDADE

Populares protestam contra fechamento de escolas e atraso em pagamento em Areia

Professores e populares da cidade de Areia, no Brejo da Paraíba, se reuniram hoje, em praça pública, para protestar contra o que classificaram de 'imposição' adotada pelo atual prefeito da cidade, o empresário João Francisco (PSDB).

Segundo docentes, o prefeito além de fechar várias escolas da cidade, não pagou o terço de férias dos docentes, que todo ano era pago no mês de outubro, e também não autorizou e já avisou que não vai autorizar reajuste para a categoria referente ao ano de 2018.
O protesto está acontecendo no coreto, da Praça Central, desde as 9h e segue pela cidade com carro de som e placas para demonstrar a decepção dos funcionários e eleitores.
“Ele se vendia como um messias, o povo acreditou nele e o que ele faz é só massacrar o povo, uma decepção”, desabafou um docente que pediu anonimato.

OUTRO LADO

A prefeitura se pronunciou sobre o caso através da seguinte nota:

A Prefeitura Municipal de Areia esclarece alguns pontos sobre as reclamações dos professores municipais. 

O primeiro é com relação ao processo de nucleação das escolas. O fechamento de algumas unidades atendeu exclusivamente à recomendação do Ministério da Educação de encerrar o ensino multisseriado. Os alunos de faixa etária e séries diferentes estavam estudando em uma mesma classe com um único professor de cada disciplina para estudantes do 1 ao 5° ano do Ensino Fundamental I. Além disso, algumas escolas não tinham o número mínimo de alunos para funcionar. A PMA esclarece ainda que está oferecendo transporte escolar para que esses alunos possam ir até às escolas maiores com melhor estrutura.

Com relação ao aumento de salário requerido pelos docentes, a PMA esclarece que o Ministério da Educação reajustou em 7% o Piso Nacional do Magistério, mas em Areia todos os professores já recebiam mais do que o novo piso, o que faz com que não seja necessário aplicar um novo aumento. "Sabemos que os professores devem ser sempre bem remunerados e, por isso, todos os docentes já recebiam mais do que o piso, mas não podemos dar um aumento ainda maior na atual situação financeira do país, em que as receitas só fazem cair. Alguns professores em Areia recebem até mais de R$ 7 mil e é justo, mas temos que ter responsabilidade antes de aplicar qualquer novo reajuste", explicou o prefeito João Francisco.

Já no tocante ao pagamento do terço de férias, a PMA esclarece que o atraso é decorrente na queda de receitas importantes como o Fundo de Participação dos Municípios e assegura que os valores serão pagos quando houver uma reação no cenário econômico.

Portal Arara
Fonte: PB Agora
Tecnologia do Blogger.