PUBLICIDADE

Mais da metade dos acidentes de trabalho na PB acontecem por fraturas e lesões

Pelo menos 2,5 mil acidentes e doenças no trabalho foram registrados e tiveram benefícios solicitados na Paraíba no ano de 2017. Os números correspondem a pelo menos 277 benefícios fornecidos por mês no Estado. O que chama a atenção é que pelo menos 53% dos motivos de afastamentos estão relacionados a fraturas e lesões. Nesta terça-feira (1º), é celebrado o Dia do Trabalhador.
Embora os números totais tenham sofrido uma queda de 5% em relação a 2016, quando foram liberados 2,7 mil benefícios, os dados que contemplam afastamentos por fraturas e lesões lideram as estatísticas, de acordo com o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS).
Acidentes de trabalho por lesões e fraturas em 2017 na PB
Lesões (ombro, pé, tornozelo, joelho e cintura)353
Dorsalgia156
Fraturas (punho, mão, tornozelo, perna, antebraço, ombro, lombar, fêmur)860
Segundo o INSS, as lesões no ombro foram as principais causas de afastamento do trabalho por mais de 15 dias em 2017, com 254 afastamentos. As fraturas no punho, mão, perna e tornozelo somam 404 acidentes de trabalho. Outros tipos de fraturas e lesões, somados, chegaram a atingir 711 acidentes no anos de 2017.
De acordo com o ortopedista Leonardo Cézar, esses tipos de acidentes são realmente os mais comuns, principalmente devido ao esforço repetitivo. Para evitar os acidentes, as empresas precisam apresentar a estrutura necessária para estabelecer uma ergometria, como cadeiras ajustáveis.
Os movimentos de repetições que, segundo Leonardo Cézar são grande causadores das lesões e fraturas, se agravam em profissões que além do esforço repetitivo também usam a força humana como ferramenta. “Para essas pessoas é preciso alternar a sobrecarga nas articulações. Muitas vezes a sobrecarga é pelo excesso”, explica.
No entanto, embora os números sejam altos, é possível prevenir. Segundo Leonardo, é importante que o acidentado cumpra toda as orientações médicas. O médico explica que uma prática importante e que dá bons resultados se realizada da forma correta é a ginástica laboral. “É obrigatório, além de diminuir o número de atestados e afastamentos”, ressalta o ortopedista.

Benefício é direito do acidentado

A advogada Ithala Suassuna explica que o benefício previdenciário mais comum para acidentes de trabalho é o auxílio doença acidentário. O INSS registrou em 2016 pelo menos 1,6 mil acidentes típicos, isto é, acidentes decorrentes da característica da atividade profissional desempenhada pelo segurado acidentado. É importante destacar, ainda, que os acidentes que acontecem no trajeto entre a residência e o local do trabalho também pode ser considerado um acidente de trabalho.
“O trabalhador que tiver direito a tal benefício deve se dirigir a uma das agências do INSS para fazer esta solicitação. Será marcada uma perícia médica para a constatação da incapacidade. Ele deverá levar documento pessoal, carteira de trabalho, todos os documentos médicos decorrentes de seu tratamento, como atestados, exames, relatórios, para serem analisados no dia da perícia médica”, detalha Ithala.
Portal Arara
Fonte: G1
Tecnologia do Blogger.