PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

TV Arapuan coloca Sikêra Júnior de férias após polêmica declaração sobre mulheres

A TV Arapuan colocou o apresentador Sikêra Júnior de férias após a declaração dele de que “mulher que não pinta as unhas é ‘sebosa e nojenta’ “. A afirmação gerou repercussão e a jornalista e rapper Kalyne Lima emitiu uma nota de repúdio, em sua conta no Facebook, rebatendo as declarações e denunciando o machismo na opinião. Nessa sexta-feira (8), diversas mulheres reuniram-se em frente à emissora e protestaram contra a atitude do comunicador.
Sikêra foi contratado em fevereiro deste ano para alavancar a audiência da TV Arapuan, fazendo frente a Samuka Duarte, que explora o mesmo filão na TV Correio. Comenta-se que o salário do apresentador chegue a R$ 60 mil.
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do estado da Paraíba foi uma das entidades envolvida na luta contra esse comportamento do apresentador e teve algumas conquistas nos últimos dias.
Primeiramente, o sindicato emitiu uma nota de repúdio a Sikêra e de apoio a Kalyne Lima, rapper atacada pelo comunicador. Em seguida, o órgão conseguiu uma reunião para este sábado (9) que reuniu diversas entidades em favor das mulheres. Do encontro de hoje, saíram algumas decisões, como a que cria duas comissões.
Uma delas vai tratar do resgate do acordo com o Governo do Estado para regularizar a postura dos veículos de comunicação. A outra vai promover ações contra comunicadores e emissoras que se compremeterem com a ética e cidadania.
Segundo o presidente do sindicato, mais de 30 pessoas compareceram à reunião deste sábado, representando diversas organizações. Land Seixas disse que eles vão se reunir constantemente para abordar os assuntos da luta pela cidadania e respeito na comunicação.
Land Seixas confirmou ao ParlamentoPB que as ações que acontecem e acontecerão são semelhantes à campanha nacional “Quem financia a baixaria é contra a cidadania”.
O representante do Sindicato dos Jornalistas também alertou que o comportamento de apresentadores também pode não agradar a patrocinadores e o movimento também estará atuando junto com eles. “Nem todo patrocinador está satisfeito com essa situação.”
Por conta de problemas semelhantes com declarações de comunicadores, tempos atrás, o Sindicato dos Jornalistas criou um fórum com MPF, MPPB, universidades, sindicatos, jornalistas, estudantes que lutou por readequações. Nessa época, o foco era combater programas de rádio e televisão que banalizassem a notícia. Isso culminou em um processo contra o jornalista Fabiano Gomes. Sobre esse caso, haverá uma nova audiência no dia 21 de junho. Land Seixas alerta que o problema “não é só com Sikera e a TV Arapuan.”
Ele também mostrou que a declaração do apresentador mexeu com várias pessoas. “Isso mexeu não só com uma mulher, mas com todas as mulheres brasileiras. Isso foi tão grave que mexeu, não só com o sindicato, mas com várias instituições, inclusive com as entidades de defesa das mulheres.”



Portal Arara
Fonte: ParlamentoPB
Tecnologia do Blogger.