PUBLICIDADE

Embaixadora da Nicarágua é convocada pelo Itamaraty para dar explicações sobre morte de brasileira

A embaixadora da Nicarágua no Brasil, Lorena Martínez, foi convocada nesta terça-feira (24) a dar explicações ao Ministério das Relações Exteriores sobre a morte da estudante brasileira Raynéia Gabrielle Lima.


A informação foi confirmada pela reportagem junto a uma fonte no Itamaraty.


Brasileira que estudava medicina na Nicarágua, Raynéia foi morta na segunda-feira (23) após ter sido atingida por tiros disparados por "um grupo de paramilitares", conforme informou Ernesto Medina, reitor da Universidade Americana em Manágua (UAM).


A morte ocorreu em meio à crise social e política que passa o país, com manifestações contra o presidente Daniel Ortega, no poder desde 2007 e alvo de acusações de abuso e corrupção.


De acordo com a Associação Nicaraguense de Direitos Humanos, mais de 350 pessoas já morreram, entre elas, muitos estudantes. Nesta terça, a Polícia Nacional negou a versão do reitor.


O G1 apurou que a embaixadora foi convocada a prestar esclarecimentos e se reuniu com o subsecretário-geral da América Latina e do Caribe do Itamaraty.


Além da convocação de Lorena Martínez, o governo brasileiro também chamou o embaixador do Brasil na Nicarágua, Luís Cláudio Villafañe Gomes Santos, para consultas. A convocação do embaixador também foi motivada pela morte da estudante brasileira.


Nesse caso, ele terá de voltar ao país para se reunir com as autoridades brasileiras. Segundo o G1 apurou, o embaixador foi chamado de volta ao Brasil para que possa expor a sua visão sobre o momento político no país e sobre o que pode ter acontecido no episódio que resultou na morte da estudante brasileira.


Esse ato de chamar o embaixador ao Brasil, de acordo com uma fonte ouvida pela reportagem, não é corriqueiro, e só é tomado em situações em que o país decide adotar uma posição mais firme. O ato, porém, não configura uma ruptura diplomática entre os países.




Fonte: G1
Tecnologia do Blogger.