PUBLICIDADE

Bolsonaro aceita realizar debate com Haddad com condições; emissoras reveem formato

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, disse neste sábado, 13, que concorda em ir a debates "sem interferência externa", referindo-se à suposta influência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha de Fernando Haddad (PT). Ele afirmou ainda que num governo Haddad quem escolheria os ministros seria Lula. 

"Se for debate só eu e ele (Haddad), sem interferência externa (de Lula), eu topo comparecer. Estou pronto para debater; tem de ser sem participação de terceiros", disse, em meio a uma gravação de programas eleitoral na casa do empresário Paulo Marinho, no Jardim botânico, bairro da zona sul do Rio. 

"(Se Haddad vencer), quem vai escalar time de ministros será o Lula. Não adianta (ele) ter boas propostas se vai ter indicação política", continuou. "O mais importante é ter independência para escalar um time de ministros componentes." 

Emissoras reveem formato de debate para garantir presença de Bolsonaro

TV Globo e a Band se reuniram com as assessorias de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) propondo um formato para facilitar o comparecimento no debate de segundo turno do capitão reformado, que sofreu um ataque no início de setembro. 

 
De acordo com a colunista Mônica Bergamo, do jornal "Folha de S. Paulo", em vez de colocar eleitores indecisos para fazer perguntas, o que obrigaria os candidatos a andarem pelo cenário, a Globo propôs que o debate fosse direto entre os dois, que ficariam sentados em poltronas.
Já a Band, que tem sede em São Paulo, se propôs a organizar o debate no Rio de Janeiro, cidade em que Bolsonaro reside. 
Fonte:Notícias ao Minuto
Tecnologia do Blogger.