PUBLICIDADE

Bandidos invadem casa, matam homem e gravam a execução, em Goiás


No segundo caso de assassinato filmado no mesmo dia, na mesma cidade, Polícia Civil faz levantamento de dados para chegar a assassinos.

Um homem de 21 anos foi morto a tiros na tarde do último domingo (25), no estado de Goiás. Os suspeitos gravaram a execução, e questionam sobre um possível vídeo, durante o assassinato do rapaz.Familiares contaram à Polícia Civil que a vítima tinha passagens por tráfico, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, e ainda era ameaçada por criminosos do setor.
Segundo o delegado Eduardo Sousa Rodovalho, que apura o crime, os indícios são fortes para que seja um crime motivado por tráfico de drogas.
“Até mesmo pelo motivo para se filmar. Ou os assassinos gravaram a ação para prestar contas com quem mandou matar, ou para mostrar força para facções rivais, mas como a família nos adiantou que a vítima estava sendo ameaçada por traficantes do bairro, essa história não tende a mudar”, disse.


“Cadê o vídeo?”,  pergunta um dos assassinos durante a execução. Para a Polícia Civil, ainda existem questões a ser levantadas, e como a investigação é prematura, não deu para saber o real motivo para o questionamento das imagens. “O celular do autor não foi apreendido, e estamos com policiais nas ruas para saber, inclusive com testemunhas, se o aparelho foi levado pelos bandidos, e o que poderia ter no conteúdo”, diz o investigador.
Segundo relatos, cinco homens chegaram em um carro Fox de cor prata na casa de uma parente do homem, na esquina das ruas Liberdade com Laranjeiras, e invadiram o quintal da residência logo que souberam da presença de Klayton Silva no local. O delegado contou que ele estaria afastado da família e da região depois de ter sido ameaçado.
A Polícia Civil informou que Kleyton tinha passagens e respondia pelos crimes de tráfico de drogas e também por uso de arma de fogo de calibre restrito às forças armadas e Polícia Federal. O rapaz não tinha audiência agendada no Judiciário goiano. Segundo o Instituto Médico Legal de Aparecida de Goiânia (IML), o corpo foi removido na manhã desta segunda-feira pela família, que não autorizou divulgar o local do velório e sepultamento.
Fonte: portalt5
Tecnologia do Blogger.